CRESCE DEMANDA POR ENERGIA SOLAR E EMPRESAS SE ADAPTAM PARA MOTIVAR NEGÓCIOS

  • Post category:Sem categoria

A instalação de painéis solares cresce em meio à escalada da conta de luz. Em outubro, o Brasil atingiu 11 gigawatts (GW) em capacidade solar em operação. De acordo com a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), esse número é a soma da geração centralizada (3,84 GW) e geração distribuída (7,16 GW). O marco legal da microgeração e minigeração distribuída devem estimular ainda mais o mercado.

No entanto, algumas barreiras podem aparecer nesse caminho. De acordo com Túlio Fonseca, sócio fundador da Energy Brasil, maior franquia de energia solar do país, a principal dificuldade não é o investimento, mas a forma como ele será feito. “Hoje, é possível adquirir um kit solar a partir de R$ 10 mil, mas a minoria faz isso à vista, precisa recorrer a um financiamento ou ao cartão de crédito”, explica. “O problema é que os dois têm juros, e altos, e o financiamento conta com muita burocracia”, completa.

Para se ter ideia, um financiamento pode demorar duas semanas para aprovação. Já o parcelamento no cartão de crédito, muitas vezes tem a restrição de usar apenas um cartão. “A gente já tinha identificado isso no mercado e pensamos: como facilitar essa aquisição?”. Para isso, em setembro, a Energy Brasil lançou a Energy Pay. Trata-se de um meio de pagamento próprio e que, segundo Fonseca, elimina toda a burocracia desse tipo de compra. “É a nossa própria maquininha. O cliente compra na hora e pode parcelar em quantos cartões de crédito quiser”, explica. Com isso, a Energy Brasil estima aumentar a sua gama de clientes e, inclusive, chegar nas classes C e D. “Nossa projeção é de faturar R$ 50 milhões em um ano só com a Energy Pay”, comenta.

Atualmente, a Energy Brasil conta com mais de 400 franquias. Até o fim deste ano, a rede projeta chegar a 450 unidades. “A Energy Pay chega para atender nossos propósitos, reforçar nosso modelo de negócio, expandir e transformar o setor de franquias no segmento solar”, comenta Marcelo Macri, sócio-diretor da Energy Brasil.

De acordo com a Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (Abecs), as compras realizadas por meio do sistema de cartões de crédito, débito e pré-pagos cresceram 52% no segundo trimestre de 2021 quando comparado ao mesmo período do ano passado. No total foram negociados R$ 609,2 bilhões no período.

Além disso, um mapeamento divulgado pela Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar) coloca o país como a 9ª maior fonte de geração solar. No último levantamento, o Brasil era o 12º, um salto de três posições em pouco mais de um ano.

Para adquirir uma franquia da Energy Brasil, o investimento é a partir de R$ 99 mil. O prazo médio de retorno é de 12 meses, dependendo do modelo escolhido.

A Energy Brasil é a maior franquia de energia solar do país, presente em todos os estados com mais de 400 unidades. A rede comercializa, instala e faz a manutenção de produtos e equipamentos de energia fotovoltaica para residências, comércios, indústrias e propriedades rurais. Neste ano, recebeu três estrelas no prêmio Melhores Franquias do Brasil, realizado pela Revista Pequenas Empresas & Grandes Negócios, sendo a única franquia do segmento a obter tal reconhecimento. Com o propósito de popularizar a energia solar no país, em 2021, a Energy Brasil tem como meta atingir 450 franquias.

Foto 1: Túlio Fonseca, sócio fundador da Energy Brasil.

Foto 2 – Marcelo Macri, sócio-diretor da Energy Brasil.

Matéria publicada no Portal Panorama de Negócios

Deixe um comentário